domingo, 13 de julho de 2008

MRP - Quando e como utilizar

Recentemente, durante um processo de implantação de ERP, acabei refletindo sobre alguns aspectos do MRP que podem fazer a diferença, que compartilho com vocês agora neste post.

A sigla MRP vem do inglês Material Requirement Planning, ou Planejamento das Necessidades de Materiais.O MRP tem objetivo de responder 3 perguntas sobre a necessidade de fabricação ou aquisição de materiais: O que? Quanto? Quando?Muitas empresas buscam esta ferramenta esperando que após sua implementação, o estoque atingirá seu ponto de equilibrio de forma que todos seus pedidos sejam atendidos dentro do prazo.
Mas antes reorganizar a empresa para adaptar-se ao MRP é necessário considerar os seguintes pontos:

1. Controle do estoque: Para que o MRP funcione a empresa, primeiro deverá revisar os métodos e processos de controle de estoque visando manter o estoque atualizado em seu sistema computacional. Isso é o primeiro passo a ser verificado e ajustado, se necessário, pois o MRP precisa desta informação com uma margem mínima de erro, pois sem uma posição confiável do estoque há um risco muito alto do MRP gerar compras desnecessárias ou ainda deixar de identificar necessidades, o que lá na frente pode siginficar pedidos com atraso.

2. Tipo da produção: Empresas que trabalham com produção contínua ou seriada conseguem fazer melhor uso do MRP, uma vez que seus produtos têm estruturas mais definidas o que permite verificar as necessidades de compras de maneira eficiente. Empresas que trabalham com projetos ou com vendas de produtos sem estruturas definidas, terão dificuldade em usar a ferramenta, pois as necessidades de compras só poderam ser corretamente identificadas após o detalhamento do produto a ser produzido. Nestes casos, é dificil planejar os componentes a serem comprados. Nestas situações recomendo o uso de estoque mínimo ou ponto de pedido para manter um nível melhor de estoque para componentes mais comuns entre os produtos e com isso diminuir as compras emergencias ou com prazo de entrega muito apertado e deixar o departamento de compras mais livre para compras de componentes mais especificos para atender a demanda gerada.

3. O volume de dados gerados pelo MRP é grande, por isso fica dificil analisar todas as informações geradas. Confiar nos resultados é fundamental para o sucesso, por isso é necessária a revisão do cadastro para a execução do MRP, tais como estoque de segurança, lote economico, lead time, entre outras.
Considerando estas informações, antes de implantar uma ferramenta de MRP, avalie se a empresa está preparada para utilizar este conceito. Procure sempre especialistas no assunto que poderão avaliar e indicar as melhores ferramentas de gestão e planejamento dos estoques.

Mais informações podem ser encontradas na Wikipedia através do link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Material_Requirement_Planning
Postar um comentário

Postagens populares